terça-feira, 7 de novembro de 2017

Melhores Ações da Bolsa (com ou sem crise)


Estudo da Credit Suisse Hedging Griffo mostra quais são as melhores e piores opções na bolsa, com ou sem crise:

 
1 - Oligopólios: Empresas que possuem uma participação relevante nos segmentos em que atuam. Não por acaso, a capacidade de influenciar nos preços de mercado e a possibilidade de impor barreiras fortes à entrada de novos concorrentes são um bom negócio.

2 - Empresas de Qualidade: Termo difícil de definir, qualidade, na pesquisa da Credit Suisse Hedging Griffo, é a capacidade de uma empresa de oferecer uma rentabilidade de investimentos consistentemente superior a seu custo de capital. Empresas assim reconhecidas são as queridinhas do mercado, e suas ações são muito valorizadas. O interessante é a confirmação de que, mesmo sendo papéis caros, eles costumam ter um desempenho muito bom.

3 - Estatais: Não fizeram uma figura tão ruim quanto as pré-operacionais e as pechinchas. Cabe aqui um alerta de que essa é uma média simples, ou seja, empresas menores são comparadas com Petrobras e Banco do Brasil, alguns dos papéis mais negociados do mercado.

4 - Empresas “Deep Value”: Nome bonito para as pechinchas de mercado. São ações negociadas a preços inferiores ao valor patrimonial.

5 - Empresas Turnaround: Vendidas pelos consultores como uma panaceia, as reestruturações não têm agregado valor aos acionistas.

6 - Empresas “Dream Cap”. Sãos as empresas pré-operacionais. Independentemente da qualidade da empresa, estabelecer um preço justo para as ações é difícil, o que amplia os riscos.

Convido o leitor atento a listar as principais representantes de cada grupo.

88 comentários:

  1. Bom, UB,
    Esse estudo tem a duração de cinco anos. Qualquer estudo, pelo menos os estudos internacionais são assim, tem que ter pelo menos uma base temporal de algumas décadas.
    Também é importante saber como foi feito o estudo. Dividiram em decils? Rebalancearam a cada ano? Um parâmetro que coloca "empresa de qualidade" como uma categoria a ser analisada parece-me subjetivo demais, o que não se encaixaria num estudo com parâmetros mais "objetivos" feito na academia por exemplo.
    Eu não entendi também a definição. Empresas que fornecem uma rentabilidade de investimento superior ao custo do capital próprio.
    Quando se fala de "rentabilidade de investimento" superior ao seu custo de capital (WACC - Weight Average Cost of Capital) está se falando de retorno em cotação ao longo do tempo (com dividendos) ou está se falando de ROE (retorno sobre o capital) ou ROA (retorno sobre os ativos)?
    Se for a primeira resposta, a conclusão é tautológica, pois é claro que empresas que ofereceram uma rentabilidade maior do que o custo de capital no período analisado é óbvio que vão rentabilizar mais.
    Entretanto, se a análise for sobre o ROE ou ROA, o que faz mais sentido, aí sim talvez possamos apreender coisas interessantes.
    Apenas para esclarecer, quando alguém compra uma empresa com um ROE de 30%, e paga três vezes pelo patrimônio contábil, na verdade está comprando um ROE de 10%, não de 30%.

    Reflexões apenas.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Sô!

      Lindas reflexões.

      Então, até procurei o estudo através de uma rápida consulta no Google e não encontrei, só achei reportagens falando do estudo e não o dito cujo. Se você achar me fala.

      Sobre a frase "rentabilidade de investimentos consistentemente superior a seu custo de capital" também me soa um pouco no ar, acredito que estão falando do ROIC (retorno sobre capital investido). Realizando um filtro através do site do Bastter uso ROE > 15% (eles não cadastram o ROIC), DY > 2%, PY > 25% e margem de segurança > 10% encontrei a seguinte listagem (eliminadas emrpesas de baixa liquidez):

      ITAU UNIBANCO
      BANCO DO BRASIL
      ITAUSA
      CEMIG
      PORTO SEGURO
      AES TIETE
      TAESA
      LIGHT S/A
      COMGAS
      EZTEC
      HELBOR
      RANDON PART
      IOCHP-MAXION
      ETERNIT
      PORTOBELLO
      BR INSURANCE

      Ou seja, empresas que em teoria possuem um retorno sobre capital interessante (> 15%) e que pode ser consideradas empresas de qualidade.

      O filtro Margem de Segurança > 10 exclui papéis como ABEV3, CIEL3, BBAS3, CRUZ3, CCRO3, TBLE3, NATU3, KROT3, RENT3, CTIP3, LAME4 e TOTS3. Todas elas empresas com ROE acima de 20. São empresas de qualidade? Subjetivamente falando acredito que sim.

      E você, dos múltiplos sobre retorno, quais do três (ROIC, ROE, ROA) acredita ser mais efetivo para pontuar a qualidade de uma empresa?

      Excluir
    2. Sô? Essa é mineiro uai! hehe
      Então, UB, ROIC é uma ROA tirando as dívidas e ativos de curto prazo.

      Eu acho o ROE fundamental, pois afinal é como o dinheiro dos acionistas está sendo utilizado. Empresas com ROE baixo tendo a ter P/VP menores. O ROIC e o ROA são fundamentais quando a empresa se alavanca, pois se não há alavancagem financeira tão grande, o ROE tende a ser parecido com o ROA que tende a ser parecido com o ROIC.
      Todos são importantes, e servem para ter uma perspectiva mais ampla da empresa.

      Pois é, veja que pelo seus filtros de ROE um pouco mais alto, achou uma monte de DEEP VALUE: cmig, eternit, bb, aes tiete, etc.

      Realmente é necessário ver o estudo para saber quais foram os parâmetros e se não houve data mining.

      Uma vez no Blog do Tetzner, mostraram um gráfico de um fundo muito conhecido administrado pelo Armínio fraga, mostrava que desde janeiro de 2009 até 2013 o fundo tinha superado com folga o CDI.
      Bom, eu fui até a página do fundo e resolvi quando o fundo tinha sido criado. Ele tinha sido criado em junho de 2008, e tinha tido uma péssima performarce nesse ano. Se incluísse apenas seis meses a mais (o que faria todo sentido já que era desde o começo do fundo), a vantagem sobre o CDI já não ficava tão expressiva. Por isso, temos que ter cuidado nos dados que nos apresentam, bem como na maneira que nos apresentam.

      Abraço!

      Excluir
    3. Soul virô Sô, kkk
      Porque você considerou CMIG, ETER e GETI Deep Value?
      sim, concordo com suas ponderações sobres estes "estudos", mas as conclusões deste em questão são de certa forma válidas.

      Excluir
    4. Ah, obrigado pelos comentários bem embasados, enriquece muito o post aqui.
      abraço!

      Excluir
    5. É, eles não seriam tão Deep Value, pois não há um desconto tão expressivo no P/VP. Entretanto, elas estão bem descontadas em relação ao P/L, todas com P/L de 5 e menor do que 8, e com margens operacionais boas, o que demonstra que não estão com problemas operacionais.
      É claro que sabemos que a ETER tem a questão do Amianto, a GETI a questão do fim do contrato com a ELPL em dezembro de 2015, e a CMIG é uma empresa com participação estatal num setor onde o governo está intervindo bastante.

      Logo, não de pode dizer que são pechinchas promocionais, pois há motivos para o desconto. O que talvez haja é uma reação exagerada no desconto.

      Claro, UB, tem uma frase num filme que eu adoro ("Na Natureza Selvagem" - já viu?) é de um escritor muito bacana chamado Thoreau: "Em vez de amor, dinheiro, fé, fama, equidade, dê-me a verdade." Uma das coisas que gosto de chamar de qualidade é que eu realmente aprecio a verdade, mesmo que ela às vezes possa esmagar o meu ego e vaidade.
      Logo, estudos sobre qualquer coisa sempre são bem-vindos.

      Abraço!

      Excluir
    6. Into the Wild é um filme excelente, com trilha sonora do Eddie Vedder, um cara que sou muito fã.

      Sobre os indicadores, penso que todo os são importantes, desde que utilizados em conjunto com outros e também com uma análise qualitativa da gestão da empresa. Por exemplo, o ROE da Ciel3 não diz nada sobre a empresa e a tendência é que ele diminua todo ano, sem que isso signifique que a empresa piorou seus fundamentos.

      Um abraço!

      obs: saindo de casa para comemorar os 500k! E teremos post em breve!

      Excluir
    7. Já ouvi falar deste filme mas ainda não vi, diga-se de passagem não tenho visto filmes ultimamente, vida tá corrrida demais por conta do filho que tá chegando, mas obrigado pela dica.
      CEMIG já esteve mais descontada, rs. Como subiu esta bichinha.

      Excluir
    8. Troll, use camisinha e não beije na boca, kkk

      Excluir
  2. Por isso que vamos de AMBEV, CIELO, SOUZA CRUZ ... Podemos classificar todas elas como oligopólio - e são empresas que não costumam decepcionar !!! Claro que podemos ter grandes retornos com empresas Turn Around, mas acho que isso exige uma grande habilidade para identificar o potencial da empresa. Sinceramente, não me sinto confortável em fazer este tipo de análise.

    Atualmente, estou focado em adquirir ações de boas empresas (como as mencionadas acima) e acompanhar os balanços trimestrais - enquanto elas continuarem boas empresas, eu continuo sócio e aumentando posição. Acho que os investimentos neste momento (com pouco patrimônio e com pouca experiencia) é como o jogo de tenis amador - temos que nos preocupar em não errar, em vez de tentar acertar a grande jogada. Isso fica para os tenistas profissionais.

    Quem sabe, com um patrimônio maior e com mais experiencia e estudo - também não podemos nos tornar profissionais ?

    Uó - parabéns pelas postagens. Estou acompanhando seu blog e já te adicionei no blogroll. Quando tiver uma oportunidade, faça uma visita no Executivo Pobre (executivopobre.blogspot.com.br) e me adiciona por aqui também.

    Um grande abraço,

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. EP,

      Esquece balanço trimestral. Um trimestre não quer dizer nada! Espera fechar o anual.

      Abraços.

      Excluir
    2. Não concordo que CIELO já seja um oligopólio, será?
      Valeu E.P.
      Adicionado

      Excluir
    3. Bastter (I.L.), rs, ele não disse que está tomando decisões em balanços trtimestrais, está apenas acompanhando, rs.

      Excluir
  3. Uó, acho que seu post ficaria mais rico se você enumerasse X exemplos de cada categoria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Também acho Th, mas estou incenitvando o debate, veja a última frase: "Convido o leitor atento a listar as principais representantes de cada grupo." Está convidado, rs.

      Excluir
  4. Resumindo:

    Empresa boa é boa a qualquer preço. Empresa ruim é ruim a qualquer preço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Resumindo mais ainda: empresa boa é melhor ainda com preço baixo. Empresa ruim é pior ainda com preço alto, rs.

      Excluir
    2. O problema é que empresa boa sempre está "cara". Vide ABEV3, que está "cara" desde 2002. Seguidores do Damodaran estão esperando até hoje para entrar nela, rs.

      Excluir
    3. ABEV tá cara não, já fiz duas compras este mês, rs

      Excluir
  5. Difícil classificar diferentes empresas em grupos. Por exemplo : o BB e a petro pertencem a um nesmo grupo? Não penso assim!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Quero dizer, empresas estatais com performances distintas

      Excluir
    2. Estas aí pertencem ao grupo das empresas canetadas pelo governo, rs. Melhor ficar longe

      Excluir
    3. Se bem que os dividendos dp BB me atraem muito, na dúvida cruel se continuo ou não aportando nele.

      Excluir
    4. Eu quero distância de qualquer empresa gerida por esses bandidos do PT. Sou 1000x mais ITUB3 do que BBAS3 atualmente.

      Excluir
    5. I.L., acha que vale à pena comprar ITSA3 em vez de ITUB3?

      Excluir
    6. São empresas diferentes. ITUB3 é o banco mesmo. ITSA3 é uma holding, assim como a Bradespar, com grande participação no Itaú. Você decide, mas eu prefiro ITUB3 mesmo.

      Excluir
    7. Claro que são difetentes, mas existe alguma vantagem da holding sobre a controlada?

      Excluir
    8. Vantagem mesmo acho que não. Em resumo, comprar ITSA3 significa comprar ITUB3 com "desconto".

      Excluir
    9. Tenho pé atrás quanto a descontos, rs

      Excluir
    10. A questão nem é pé atrás. ITUB3 é só Itaú. ITSA3 é 95% de Itaú e o resto de DTEX3 (empresa boa), ITEC3 e ELEK3 (empresas ruins). Cabe a cada um escolher o que achar melhor...

      Excluir
    11. Pensei que ra 90%. Mas já decidi a monitorar ITUB mesmo, deixa a holding pra lá, rs.

      Excluir
  6. Se Gosta de Dividendos, quer ir pra um banco legal e não quer estatal tem que ir de ITAUSA.

    99% de Itaú. Com dividendos melhores.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anôn, estou seriamente pensando nisto. ITSA33 correto?

      Excluir
    2. Já te responderam Uorrem cacete..é ITUB!

      Excluir
    3. Fala Uó, é ITSA3 sim.

      Eu exagerei um pouco com 99 mesmo kkk, mas é na casa dos 90% sim, talvez mais.

      ITSA é um jeito de investir em ITUB3 pagando menos.

      É a mesma coisa, só que com mais dividendo.

      Excluir
    4. Parece que os dividendos estão no mesmo nível não?

      Excluir
    5. Uorrem, sou o anônimo das 19:53.
      Fui lá olhar o desempenho e há vários meses ela apanha do IBOV. É só consultar o gráfico do site da Bovespa. Além disto, o caixa não é suficiente para a dívida monstro.Além disto a participação em outras empresas não me agrada, além de estar com dividas monstro tb (Oi DTEX !).
      Enfim, comprar ITSA só por causa dos dividendos é burrice. Prefiro mil mezes comprar o banco do que comprar a holding. Comprar a holding seria como comprar um ETF: vc paga uma coisa e vem outras que vc não gostaria de comprar.

      Excluir
    6. Por fim só para acabar de enterrar ITSA, segue observação no site Bastter:

      "ha um pequeno desconto comprando ITSA
      mas ela nao eh o banco, eh uma holding e tem mais 3 empresas

      entao na verdade ha um risco um pouco maior em ITSA e por isso se compra com um pequeno desconto"

      Ao meu ver, se deve fugir de algo assim. O mercado não é bobo. Precifica o risco, dando o tal "desconto" por conta das 3 empresas, e precifica corretamente ITUB também.

      Excluir
    7. Valeu Anôn, também estou achando que este 'desconto' tem seu motivo.
      O que você acha de DTEX?

      Excluir
    8. Tenho ITSA3. A empresa é excelente.

      Excluir
  7. Eu li esse estudo inteiro quando ele saiu e achei que o autor usou a estatística que queria para mudar os resultados. Durante o tempo de 5 anos muitas empresas mudaram de classificação e o autor só considera a categoria que ela pertencia no final do estudo.

    Outra coisa é que o tempo de 5 anos é muito pequeno para chegar a alguma conclusão e os resultados positivos de um setor impactam o grupo inteiro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem vi que o Soulsurfer já tinha feito essa mesma observação.

      Excluir
    2. Não lembro do link, só lembro que li o estudo dia 7 de Setembro do ano passado.

      Excluir
    3. Lembra da data mas não lembra do link: POSER.

      Excluir
    4. Jênio, lembro da data porque era feriado nacional.

      Excluir
    5. Lembrei, saiu num dos relatórios do CSHG Verde.

      Excluir
    6. Achando o link poste aqui.
      Abraço!

      Excluir
  8. Independente do período do estudo, há algo aqui que podemos levar como lição: investir em empresas que apresentam lucro, independente do setor onde se encontram no estudo, já é estar num dos melhores desempenhos analisados.

    Em compensação... empresas que só apresentam prejuízo nos balanços anuais mostraram-se péssimas opções de investimento no médio prazo, pouco importa em que categoria se encontrem.

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Depende longe do limite.
      Há diversos estudos que mostram que não só as cotações, mas os resultados operacionais das empresas (isso considerando um universo de milhares de empresas, o que não dá para fazer com o nosso mercado que é pequeno) tendem a ter um padrão de regressão à média do setor.
      Se isso é verdade, talvez empresas com lucros e margens pressionados possuem uma probabilidade grande de reverter esse quadro.

      Entretanto, eu particularmente, gosto apenas de empresas lucrativas como você.

      Abraço!

      Excluir
    2. Quando os senhores falam de "empresas lucrativas", seriam aqueles que possuem lucros constantes ou lucros crescentes? Temos também aquelas que apresentam lucros sazionais.

      Excluir
    3. Concordo contigo, Soul. Só quis tirar uma conclusão tendo por base unicamente o estudo apresentado.

      Acredito que independa do tipo de empresa, Uó. Tanto faz se ela foca no lucro constante (característica das empresas de dividendos) ou procura ter lucros crescentes (característica das empresas de crescimento). O importante é que tenha lucro.

      Abraço!

      Excluir
    4. LdL, mas você se refere ao lucro acumulado ou ao lucro trimestral?

      Excluir
    5. Sob o meu ponto de vista, anual. De preferência, analisado sem os efeitos não-recorrentes.

      Excluir
  9. Estou de olho pra comprar por considerar as melhores oportunidades atualmente da bolsa para o Longo Prazo HGTX3, POMO4, DTEX3, CRUZ3, MULT3 e GETI3. O que acha desses ativos Uorrem???

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então Anon, até tenho HGTX3 e POMO4 mas não irei comprar mais não, após enxugar minha lista de ativos de 40 para 20 estas empresas ficram fora. No setor de consumo cíclico fiquei apenas com a GRND3 e no setor industrial fiquei apenas com a LEVE3. DTEX3 eu coloquei no lugar da EUCA3 e ETER3, por enquanto sigo aportando. As demais que você citou eu não acompanho.

      Excluir
  10. Fala Uó. Sou seu fã, seu blog é fantástico e influenciado por ele eu também me senti na vontade de enxugar minha carteira e fazer a lista.

    Depois do corte minha carteira ficou assim. Veja a minha lista e me diga o que pensa e se tem algo que faria diferente.

    Primeiramente meu objetivo é de holder, procuro boas empresas com um bom potencial de crescimento, mas não abro mão de um bom dividendo.

    O que você acha:

    O formato que colei é Papel e Dividendo, ordenado pro dividendo.

    Aqui está, veja o que pensa da minha carteira.

    ECOR3 11.9
    TAEE11 11.7
    BBAS3 9.6
    PSSA3 8.3
    CMIG3 7.9
    GRND3 7.5
    SAPR4 6.9
    VALE5 6.8
    ETER3 6.6
    RENT3 4.5
    CCRO3 4.0
    CTIP3 3.7
    EZTC3 3.5
    BBDC4 2.9
    CIEL3 2.9

    Alguns comentários

    Bancos 2
    Consumo 1
    Construção 2
    Elétricas 2
    Financeiros 2
    Mineração 1
    Exploração de Rodovias 2
    Seguro 1
    Saneamento 1
    Locacao 1

    2 Bancos por que adoro bancos, se pudesse colocava mais. O dinheiro está com eles. BBAS pelo dinheiro. BBDC pelo fato de ter uma administração de crescimento conservador e estável, não faz loucuras igual ao ITUB, mas também gosto dele.

    GRND. Ótima.

    EZTEC e ETER porque tem ótimas administração e dividendo.

    Tenho duas de exploração de rodovias, pois eu gosto muito de um setor que ganha dinheiro enquanto os outros estão ganhando dinheiro. Acho isso demais. Ia colocar só a CCRO, mas você já viu o dividendo da ECOR?

    De resto são todas ótimas empresas.

    A VALE eu tenho porque meu preço médio é baixíssimo e eu penso estar MUITO descontada. Esta empresa tem potencial a ir a 45 ou mais.

    Escrevi demais.

    Valeu abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Anon, primeiramente obrigado, fico feliz de estar contribuindo para a melhora na educação financeira por aqui, rs.

      Sobre a sua carteira, seguem abaixo meus comentários:

      ECOR3 (sinceramente não parei para estudar a ECOR a fundo, confesso que escolhi a CCRO neste setor de forma subjetiva, mas assim que eu puder irei fazer um comparativo entre as demais para dar um parecer mais técnico)
      TAEE11 11.7 (seu passo é mais que perfeito, já o futuro a Deus pertence. Por hora estou vendo mais potencial na ALUP11, mas ambas são boas empresas)
      BBAS3 9.6 (Entre os grandes banco não está performando muito bem, mas em termos de dividendos é muito boa, ainda tenho dúvidas se continuo ou não aportando nela. Talvez comprarei só em épocas de desconto excessivo)
      PSSA3 8.3 (Do setor os números indicam que é a melhor)
      CMIG3 7.9 (Sou suspeito para falar, é a empresa que coloca meus equipamentos para funcionar, rs, continuarei aportando)
      GRND3 7.5 (Dentre as empresas do setor de consumo cíclico é uma excelente opção, tem gente preferindo a NATU3, mas eu acabei ficando com a GRND3)
      SAPR4 6.9 (Tem gente que não gosta por causa do tag along e liquidez, mas eu tenho aportado nela, o numeros passados a colocam como melhor do setor, mas é uma empresa para ficar monitorando sempre)
      VALE5 6.8 (Pois é, esta aqui é uma incógnita, tem o fator china, perigoso, sei não, pense bem antes de fazer novos aportes.)
      ETER3 6.6 (outra empresa queridinha de todos, mas os números já não são mais os mesmos, o principais investidores já estão convocando reuniões, sei não, outra para ficar de olho, por hora estou aportando na DTEX)
      RENT3 4.5 (tem gente que não gosta do setor, mas acho que o futuro de todo país é aluguel de carros, eu mesmo remodelei meu estilo de vida em função de aluguel de carro, sigo apostando nisto)
      CCRO3 4.0 (Empresa com passado perfeito mas também fara ficarmos observando a alavancagem, os investimentos tem que ser revertidos em maiores lucros, fato)
      CTIP3 3.7 (Até Warren está cogitando comprar né? Quem sou eu para discordar)
      EZTC3 3.5 (Melhor do setor, fiz aportes recentes, mas estou com pé atrás em relação ao setor)
      BBDC4 2.9 (trocaria por ITUB, mas é quase a mesma coisa, rs)
      CIEL3 2.9 (nem vou comentar, rs)

      Excluir
    2. De uma forma geral penso ser uma carteira muito bacana, quem dera eu ter montado uma carteria assim 4 anos atrás quando comecei 'mexer' com bolsa, rs.

      Só náo gostei desta sau frase: "A VALE eu tenho porque meu preço médio é baixíssimo e eu penso estar MUITO descontada. Esta empresa tem potencial a ir a 45 ou mais." PM baixo? OK, beleza, mantenha, mas em relação a 'desconto' penso que o mercado dá desconto para quem merece, se ela está descontada é porque mereceu estar assim, e pontencial para chegar em 45, 90... ela tem, mas deve ter outras empresas por aí com potencial muito maior, não?

      Excluir
    3. Ah, cadê ABEV nesta lista? rs

      Excluir
    4. pq nem vai comentar a CIEL3? ötima pagadora de dividendos e a um preço extremamente descontado no momento...fazendo posicao !

      Excluir
  11. Existe uma frase que tenho como plano de fundo do meu notebook de um episódio do Breaking Bad:
    "Controle o mercado e controle o preço".
    Se você vende farinha de trigo para 90% da população do Brasil, você dita o preço, você dita quem entra no setor e quem sai dele. Quando se tem o controle sobre o mercado, não existe crise que faça você ir para o fundo do poço.
    Uta!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Trainee, quais empresas neste sentido você gosta?

      Excluir
  12. O problema desse estudo é que não mencionam como ele foi montado para chegar nos valores, sem contar que uma empresa pode se encaixar em mais de uma categoria.
    Penso que qualquer categoria é válida, desde que se saiba onde está pisando. Como não dá para saber onde está pisando com "Dream Cap" e IPOs, estou totalmente fora! Nem perco tempo olhando.
    Cheguei a fazer algumas apostas pequenas em turnarounds com resultados variados. Por exemplo, ELET3 deu uma boa subida e de quebra pagou dividendos. É uma turnaround, deep value (P/VPA) e estatal. Em compensação tenho FJTA que virou mico. Nunca arrisco mais de 10k em empresas assim.
    Gosto de empresas "deep value", mas dou mais importância ao P/L que o P/VPA. Exceção foi para o ELET3 que era mais turnaround.
    Exemplos de "deep value": ABCB, HBOR, etc. O problema é que deep value pode esconder um problema que só os insiders sabem. Diversificação é importante como proteção.
    Estatal é perigoso por causa do governo atual, eu tenho muitas delas e estou desconfortável.
    "Empresa de qualidade" geralmente já está altamente precificada, então você corre o risco de pagar mais caro do que ela realmente vale, porque todo mundo quer. Também há casos passados de "empresas de qualidade" que foram pro saco, ferrando o acionista minoritário.
    "Oligopólios" no Brasil são um caso a parte, porque são influenciados ou controlados pelo governo. O governo é capaz de interferir na VALE, por exemplo, como foi na adesão da VALE ao REFIS para fechar a conta da Dilma em 2013... Petrobrás nem preciso explicar.
    Confesso que estou tendo dificuldade para comprar novas ações atualmente. A última vez que comprei foi BBAS3 na faixa dos R$20 lá em março.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não considero ABC uma Deep. Nem ELET, esta pra mim é mico,rs.
      Temos empresas de qualidade aí com preço bom, tipo ABEV e EZTC. Oitras começam a ficar atrativas como UGPA e CCRO. Atualment emeus targests de compra estão assim:

      ABEV3 15,75
      UGPA3 51,51
      LEVE3 21,21
      CCRO3 16,36
      BRFS3 45,45
      GRND3 13,31
      BBAS3 21,21
      RENT3 32,32
      ITUB3 30,30
      ALUP11 15,51
      SAPR4 5,05
      CIEL3 33,33
      CTIP3 24,24
      MDIA3 82,82
      ABCB4 11,22
      PSSA3 27,27
      EZTC3 20,20
      DTEX3 8,08
      CMIG3 13,31
      TOTS3 30,30

      Excluir
    2. Uó,

      Se o target não for atingido você não compra nunca? Outra coisa, de onde você tira esses valores? Quer dizer que se a ABEV3 chegar a 15,76 você não compra por 1 centavo, rs?

      Esquece as cotações meu amigo!!!

      Excluir
    3. I.L., já falei isto e vou falar de novo, o target é momentâneo e é revisado mensalmente e cada ativo tem um critério específico de comprar. Posso comprar ABEV a 15.76 sim, como comprei em 16,56 e 16,31 neste mês, depende de dinheiro em caixa de de momento de mercado. Os valores acima são só valores de referência.

      Não, não esqueço contação, rs

      Excluir
    4. Eu até entendo o Uó se ele pensasse em trade, mas se é para longo prazo, pouco importa o valor. Mas enfim, existem certas idéias que não se mudam tão facilmente...rs

      Excluir
    5. Esta será uma discussão eterna aqui na blogosfera...

      Excluir
    6. Com certeza é uma discussão eterna.

      A minha idéia é sempre comprar mais ações boas a menor preço. Não tenho medo algum de comprar small caps. Ocasionalmente compro turnarounds, alocando pouco do % da carteira. Na minha concepção, mico é ação que não tem salvação alguma (vale zero), enquanto a turnaround é aquela que está em dificuldades mas ainda tem valor ou um potencial realista que não é enxergado pelo mercado, já que a maioria dos grandes ficam de fora dessas empresas pelo volume baixo de negociações em bolsa.

      Se existem ações que não se encaixam no meu critério de compra, não compro e parto para outras alternativas! Não é porque a empresa é boa que vou pagar qualquer valor por ela. Essa estratégia serve bem para quem não quer acompanhar o mercado de ações e aí acaba fazendo um preço médio ao longo dos anos, mas não para quem gosta, analisa e acompanha o mercado. Um outro detalhe é que mesmo as "boas empresas" se dão mal e essa coisa de acompanhar balanço uma vez por ano que certo site prega é uma furada... Assim, não existe almoço grátis, se quiser bater o IBOV e aposentar mais cedo tem que ralar um pouco! :)

      Excluir
    7. Seth, veja o que esta ocorrendo com os ultimos turn-arounds da bolsa (POMO4 e HGTX3). Tiveram rentabilidade monstro até pouco tempo, mas o proprio mercado está se encarregando de corrigir a aberração. Para pegar turn-around é un esforço duplo pois exigirá conhecimento para entrar e um outro bem maio para sair. Por isto vou ficar com as empresas de qualidade mesmo,rs, o esforço é bem menor.

      Excluir
  13. Targets de 20,20 30,30 24,24 32,32 33,33 45,45
    Isso é TOC? Transtorno Obsessivo-Compulsivo? kkkkk

    ResponderExcluir
  14. Esses targets de BBAS, SAPR, CCRO vc pega, essas sempre fazem esse vai e vem, quero ver pegar EZTC em 20, CMIG em 13, pode esquecer.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Wag, estava olhando o gráfivo da EZTC e sabe que ela tem tudo para chegar em 20? Falo istoporque estamos observando um efeito manada no papel desde o último balanços, muitos investidores que se diziam sócios estão pulando do barco, só por causa de um trimestre.

      Já CEMIG, preocupa não, só aguardar a próxima canetada do governo, de tempos em tempos acontece uma, rs

      Excluir
    2. Uó, estes que pulam fora são uns cagões.Continuo com EZTC tranquilo.

      Excluir
    3. hehe, o mercado imobiliário tá meio assustador, mas a empresa continua boa.

      Excluir
    4. Quase 4 anos eis que eztec esta nos 20 e chegou aos 12 no ápice da crise KKKK

      Excluir
    5. Pois é mestre, a EZTC chegou no fundo em 29/09/15. Depois disto já dobrou de preço. Mercado é isto aí, rs.

      Excluir
  15. Uo, como voce reposta posts antigos como novos? Valeu

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coloco em rascunho depois muda a data, apenas isto. Não sei se é a forma correta pois muda a URL para a data corrente. O ideal é não mudar para não perder o ranqueamento no Google. Acho que o Andre pode nos ajudar pois ele tem feito repostagem sem perder a URL, veja esta aqui dele...
      http://www.viagemlenta.com/2013/07/socialismo-e-emocao.html
      Vamos ver se ele aparece por aqui pra nos dizer.

      Excluir
  16. UÓ, legal esses posts repostados, porque dá pra ver como aquelas ações pensadas no estudo de 2014 estão se saindo agora. É possível ver como as análises se confirmaram, ou não...

    Abraços colega

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade Diário, relembrar é viver, rs
      Abraço

      Excluir
  17. Eu gosto de escolher empresas que tenham o Oligopólio e de excelente qualidade pois assim em fico mais protegido para o longo prazo, além disso gosto de esperar os momentos certos de comprar essas empresas com um preço que tenha alguma margem de segurança.

    Abraços e bons investimentos

    ResponderExcluir