terça-feira, 5 de setembro de 2017

Fundos de Investimentos em Participações (FIP): XPOM11


Esta postagem foi ao ar no dia 18/07/2014, na época este FIP estava cotado no 80 reais. Não tenho pais este Fundo de Investimento em Participações em carteira, de qualquer forma fica aí uma estudo detalhado sobre o tema.

 xpom11

Há pouco tempo me deparei com uma modalidade de investimento ainda pouco conhecida pelo investidor comum: os chamados FIP (Fundos de Investimento em Participações). São fundos caracterizados, principalmente, pela participação ativa nas empresas ou negócios em que investe.

Segundo a instrução 391 datada de 2003 da CVM (Comissão de Valores Imobiliários), um FIP deve ser constituído em forma de condomínio fechado e os recursos sob sua administração devem ser destinados à aquisição de ações, debêntures, bônus de subscrição, ou outros títulos e valores mobiliários conversíveis ou permutáveis em ações de emissão de companhias, abertas ou fechadas, participando do processo decisório da companhia investida.

A maioria dos FIPs investe em empresas fechadas, praticando aquilo que também é conhecido como Private Equity. Um FIP pode ser utilizado para comprar empresas endividadas, pode ser um fundo mezanino - que fica por um tempo pré-determinado participando da empresa - ou até mesmo investir em empreendimentos imobiliários. A intenção do fundo é tirar proveito do potencial de crescimento de tais investimentos.

fip

Diferenciais

Uma vantagem de investir neste tipo de fundo é que o cotista participa do crescimento dos negócios em carteira, sejam de capital fechado ou aberto. Este tipo de fundo oferece grandes oportunidades de ganho em relação aos fundos tradicionais de ações, pois buscam investimentos com alto potencial de maturação e retorno.

Um FIP pode ser montado por um investidor que quer investir em empresas iniciantes, sem que o aporte precise ser direto, e também é uma forma de abrir a empresa para investidores. É vantajoso em relação ao investimento direto pela sua transparência e sua governança corporativa, pois tem custodiante e auditoria obrigatórios. Para a empresa também é bom, pois ela pode começar a ter contato com o mercado de capitais e se ela quiser fazer um IPO já terá níveis elevados de governança corporativa.

Outra vantagem é o fato de este tipo de fundo ser obrigado a participar ativamente da administração dos negócios, o que trás mais chances de retorno. Por outro lado o risco também é maior, e tudo vai depender da qualificação do gestor.

Se o fundo investir em empresas fechadas, ele traz a vantagem de estar apostando em negócios com grande potencial de expansão, pois as empresas ainda não são tão maduras quanto as que já são listadas na bolsa, que é a grande diferença entre investir em ações e investir num FIP.

Fundos de Investimentos em Participações com Cotas Negociadas em Bolsa

Apesar de pouco conhecidos no Brasil, os Fundos de Investimento em Participações com cotas negociadas em bolsa tem chamado a atenção dos investidores de varejo, especialmente por seu elevado potencial de ganho e outras vantagens fiscais.

Em geral, os FIPs são fundos criados para se investir ativamente através da compra de participações em empresas ou empreendimentos específicos. Assim como os Fundos Imobiliários (FII), esses FIPs funcionam como um condomínio fechado que administra recursos.

Hoje em dia, muitos FIPs também são criados com objetivos bem exatos como a aquisição de imóveis ou de pequenas centrais hidroelétricas, sendo montados na forma de Sociedade de Propósito Específico (SPE). Como os FIPs podem investir em praticamente qualquer coisa, ter seus propósitos bem esclarecidos torna mais fácil compreender os riscos e reduzir a complexidade de acompanhamento das operações do fundo.

Abaixo uma lista extraída do site da BM&FBOVESPA com os FIPs que hoje estão listados na bolsa. Fiz uma busca rápida no HB da minha corretora em cada um destes e percebi que apenas o XPOM tem apresentado negócios diários. Fiquei na dúvida se os demais têm as cotas negociadas no mercado.

xpom11

FIP-IE XP Omega I (XPOM11)

Este FIP tem se tornado o queridinho dos pequenos investidores. Como é negociado em bolsa então está disponível para quem tem em investir em uma empresa de capital fechado com bom potencial de crescimento e de quebra receber rendimentos semestrais isentos de Imposto de Renda.

Diferenciais do FIP apontados pela gestora:

•    Receita: contratos de longo prazo acima de 10 anos com empresas de grande porte;
•    Inflação: contratos ajustados anualmente protegendo o capital da inflação;
•    Conjuntura Setorial: demanda crescente por energia e alta liquidez nos contratos favorece o setor;
•    Ativos: ativos operacionais com desempenho comprovado, assim como nas grandes companhias elétricas, além de contar com uma gestão profissional;
•    Benefício fiscal: rendimentos (isento de IR) e ganhos de capital no mercado secundário (15% ao invés dos 27,5% do IR tradicional) com vantagem fiscal;
•    Liquidez: com as cotas negociadas em bolsa espera-se boa liquidez com facilidade de resgate do capital aplicado.

O FIP-IE XP Omega I é detentor de aproximadamente 34% do capital total da Asteri Energia S.A. (“Asteri”), uma sociedade holding que, por sua vez, detém 100% do parque eólico de Gargaú e 51% da Pequena Central Hidrelétrica (PCH) Pipoca. A Omega Energia Renovável S.A. é sócia do XP Omega I na Asteri, sendo titular de aproximadamente 66% do capital total. O fundo atualmente detém 100% das ações preferencias de emissão da Asteri, que conferem direito ao recebimento de dividendo preferencial e cumulativo de IPCA+7,5% a.a. até 2032, o qual deverá ser pago semestralmente nos meses de maio e novembro.

O fundo passou a ser sócio da Omega Energia Renovável na Asteri Energia. A Asteri não precisava de recursos, porém tinha o interesse de vender parte de sua participação para financiar novos investimentos em projetos "greenfield".

A Omega tem entre seus principais sócios as gestoras Tarpon Investimentos e a Warburg Pincus. Pelo desenho do negócio, a Omega possui 100% das ações ordinárias da Asteri, ou 66% do capital total. O fundo da XP tem 100% das ações preferenciais recém emitidas da holding, ou 34% do capital. Essas preferenciais terão os moldes das "preferred shares" americanas. Terão prioridade no recebimento dos dividendos, que serão fixos e cumulativos até outubro de 2032.

Pipoca está localizada no rio Manhuaçu, em Minas Gerais, e tem capacidade instalada de 20MW. Gargaú está localizado em São Francisco do Itabapoana, no Rio de Janeiro, e tem capacidade instalada de 28MW. Ambos os ativos estão em operação desde o último trimestre de 2010. Abaixo segue a estrutura acionária da Asteri após aquisição das ações preferenciais por parte do FIP Omega.

xpom11

Uma vantagem importante destes ativos é que ambos possuem contratos de longo prazo com contrapartes de excelente risco de crédito, indexados à inflação. Pipoca possui contratos até o ano de 2025 com consumidores de primeira linha e ainda conta com a Cemig como sócia estratégica no ativo.

Gargaú faz parte do Proinfa (Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica), programa do governo federal lançado em 2002 e implantado em 2004, com a finalidade de estimular investimentos em fontes alternativas de energia. Os contratos do Proinfa seguem um mesmo padrão, e por contarem com incentivos do governo federal possuem características extremamente favoráveis às empresas.

Para citar alguns exemplos destacamos: (i) o prazo de 20 anos, (ii) os preços, superiores a R$ 330/MWh a valores de hoje no caso de Gargaú, e (iii) as garantias, onde o governo federal, através da Eletrobrás, garante um piso de 70% da receita contratual durante toda a duração do financiamento, que vai até 2026 no caso de Gargaú.

Uma vez que esses ativos não possuem mais qualquer risco de construção, o principal risco do negócio passa a ser de ordem climática. Como lidamos com fontes renováveis de energia, a geração de caixa consolidada da Asteri depende do regime de chuvas (caso de Pipoca) e do regime de ventos (caso de Gargaú).

XPOM11 no Mercado Secundário

Percebe-se que, recentemente, o preço no mercado secundário do FIP Omega tem sofrido, atingindo patamares abaixo dos R$ 90,00 / cota (R$ 83,15 no fechamento de 17/07/14). Acredita-se que isso ainda se deve a um entendimento incompleto por parte do mercado.

xpom11

O FIP Omega é um investimento de longo prazo, com um fluxo de distribuição crescente nos primeiros anos até o momento em que todo o dividendo das ações preferenciais acumulado é distribuído e o fluxo anual é estabilizado no patamar de IPCA + 7,5% a.a. A razão que esse dividendo não está sendo distribuído  integralmente se deve à restrições contábeis e cláusulas contratuais com o BNDES. Com o passar do tempo e à medida que essas restrições diminuem, todo o dividendo acumulado devido às ações PNs desde a liquidação do IPO serão pagos. Vale lembrar, que este saldo ainda não pago é corrigido à IPCA + 7,5% a.a. até o momento de sua distribuição integral. Ou seja, o valor econômico do investimento está preservado.

Carta do Gestor (Análise do Primeiro Trimestre de 2014)

O primeiro trimestre de 2014 foi bem relevante para o FIP-IE XP Omega I. Aproximadamente 9 meses após a captação do Fundo, chegamos em Março com a segurança de que os ativos comprados indiretamente pelo Fundo (Gargaú e Pipoca) são sólidos e vêm apresentando desempenhos acima de nossas expectativas.

Pipoca, mesmo que marginalmente, vem conseguindo se beneficiar dos altos preços de energia no mercado spot, uma vez que possui pequeno percentual de sua energia assegurada descontratada (hedge hidrológico natural). Gargaú teve um início de ano excepcional, com geração física de energia 25% acima de nossa expectativa. Com isso, o caixa da Asteri segue robusto, e passa a ser questão de tempo para que este caixa possa migrar aos cotistas do Fundo, regularizando assim seu fluxo de recebimentos no tempo.

Gostaríamos de usar este espaço para falar sobre um assunto que julgamos de extrema importância para o investidor de longo prazo do FIP Omega: o valor estratégico dos ativos geradores de energia. Todos sabem que os níveis dos reservatórios no Brasil (principalmente no Sudeste) estão em patamares preocupantes. A proximidade do calendário eleitoral prejudica a discussão do assunto, estando o mesmo demasiadamente politizado. Com isso, não fazemos o que devíamos, agravando o problema e o “empurrando” para frente. Estamos entrando no período seco, saindo do chuvoso, e a situação dos reservatórios no SE/CO chega ao final de Abril com 38,16%*.

xpom11

Já falamos em relatórios passados de como essa escassez de energia acaba aumentando o custo marginal da mesma, e com isso, aumenta também o valor estratégico de longo prazo dos ativos de geração. Mas tivemos um fato novo em Abril que vale destacar. O Governo decidiu fazer um leilão (Leilão A de 2014) para entrega imediata de energia e com prazo de 5 anos (até Dezembro de 2019). O preço teto do contrato durante todo o prazo foi estipulado em R$271/MWh (ajustado pela inflação), bem acima das sinalizações passadas. Ainda assim, o leilão não conseguiu suprir integralmente a demanda das distribuidoras. Ao que tudo indica, os donos dos ativos de geração de energia estão com outra visão do que seria um preço interessante para contratar sua energia, hoje descontratada.

O que isso significa para nós? Bom, primeiro que o valor estratégico de Gargaú e Pipoca aumenta no tempo. Segundo, que os preços de energia livre no futuro (após vencimentos dos  contratos atuais) deverão ser maiores do que aqueles que consideramos em nosso modelo quando da decisão de investimento.

Continuaremos sempre trabalhando para fornecer maior transparência e informações para nossos cotistas, ajudando o desenvolvimento e divulgação do FIP Omega para o mercado. E desde já, nos colocamos à disposição para esclarecermos quaisquer dúvidas.

Link de InteresseParque Eólico de Gargaú

Fontes  do Artigo:

BM&FBOVESPA
XP Investimentos
UOL Economia
Melhores Fundos
Plancorp

72 comentários:

  1. Interessante Uó.

    Bom post. É um investimento a se estudar.
    Desconfio de esmolas muito grandes, e olha que não sou santo!

    Fiquei em dúvida com algumas coisas : no blog do Finanças Esquizofrenicas ele disse algo de um yield de IPCA + 12% o que beira o absurdo de bom, coisa que me deixou muito, mas muito intrigado.

    No prospecto da XP fala de IPCA + 7,5% depois de um tempo, para que sejam pagos encargos ao BNDES e etc... Mas não fala o tempo que a taxa chegaria nesse valor.

    1) Algo a comentar (ou esclarecer) sobre os valores que destoam no post do FE e o prometido pela gestora?

    2) Quando esses encargos deixariam de existir para então o investidor receber 7,5+IPCA plenamente?

    3) O sistema é de condominio fechado e a principio sem fim... Como resgatar o valor do principal? Apenas vendendo no mercado secundário?

    4) Por que aplicar em um FIC e não numa debênture incentivada?

    Abração!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Seu Guarda, perguntas pertinentes, vamos lá:

      1) o Investidor Doidão considerou 12% em se tratando do seu preço de compra (85,00). Na página 6 do doc abaixo vc encontra a tabelinha:
      http://www.xpgestao.com.br/xpg/pdf/RelatorioXPOM11_201405.pdf
      Para entender a conta da gestora veja na página 10 do documento abaixo um exemplo real:
      http://www.xpgestao.com.br/xpg/pdf/RelatorioXPOM11_201403_Trimestral_vf.pdf

      2) Não são encargos e sim restrições. Mas não há que se preocupar porque o não recebido é reajustado pelo IPCA + 7,5%. Preocupe-se apenas se vc pretende pular antes. Mas aí vc desvirtuou a coisa. Se continuar firme irá receber o acumulado reajustado.

      3) Penso que sim.

      4) Aí vc que tem que me dar a resposta, entendo quase nada de debênture incentivada? O que me diz?

      Excluir
    2. Olá UB e Guardião,
      Eu tinha ouvido falar nesse XPOM, mas não tinha dado bola. Pareceu interessante. As PE são bem comuns nos EUA.

      a) Vou olhar com mais calma esses relatórios da XP, mas é isso mesmo. É como FII com RMG, a R$ 100,00 equivale a 9% se a distribuição for de R$0,75, a cota a R$ 75,00 equivale a 1%.

      b) Foi o que eu entendi, e no segundo documento eles relatam bem. Esses dividendos estão sendo acumulados e serão pagos (não fui a fundo para saber quais restrições orçamentárias e do BNDES são essas);

      c) Sim, a mesma coisa como PE;

      d) A diferença é ser sócio ou credor (debênture incentivada);

      Boteco,
      Sim ser sócio da CMIG é menos arriscado. Por isso, o prêmio nesse FIP tem que compensar o risco.
      A diferença é que uma FIP pode ser criada para comprar empresas de capital fechado, por exemplo, e pode ter excelentes negócios.
      Imagine um fundo que coleta dinheiro e pode comprar imóveis, ações, start-ups, ações negociadas em bolsa, etc.
      A ideia é boa, mas tem os seus riscos evidentemente.

      Abraço!

      Excluir
    3. É isto aí Sô! Boa contribuição! Após sua leitura dos relatórios faça um postinho para nós.
      Abraço!

      Excluir
    4. Boas perguntas e respostas!!!!!

      não é uma área que domino... at all

      Excluir
  2. Comprei um pouco hoje a 83.15, estava com ordem de compra na pedra de 84, mas no fechamento veio um doidão vendendo a 83.15, rs

    ResponderExcluir
  3. Pelo que entendi Asteri Energia = XPOM + Omega, certo?

    Só que quem tem preferencial NÃO É SÓCIO, logo, Asteri = Omega.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Uma coisa é vc comprar 0,0000001% de um papel PN via HB. Outra coisa é vc aportar em um fundo que tem 100% das PNs. Mesmo assim não é sócio? rs

      Excluir
  4. Ainda não entendi a diferença de aplicar em FIP e em AÇÕES.

    No caso em tela, não é mais fácil e seguro investir na CMIG3 de uma vez e ser realmente dono de 49% da Pipoca?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois então butiquim, é uma instrumento a mais de diversificação. Eu por exemplo continuarei aportando na CEMIG, mas com este fundo estarei diversificando mais o negócio já que tem a energia limpa na jogada (energia eólica) que tem um bom potencial a ser explorado no futuro. Água tá faltando mas vento é mais dificil faltar, rs. Mas falando sério, invesir na CEMIG é menos arriscado, mas o preço do fundo acabou ficando descontado e aportes nestes níveis são garantias de bons dividendos. Acima de 100 reais acho que não compraria.

      Excluir
  5. Belo post UO
    Apenas exclarecendo, o ganho de capital ( conforme havia comentado no mau post) eh isento de IR.
    Parece que depois de 30 anos as ações passam a ser unificadas, sendo assim os contistas de hoje passarão a ter direito a totalidade do lucro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Opa, obrigado!
      Mas porque vc disse "parece"?

      Excluir
    2. Escrevi assim pois tenho quase certeza de que eh assim.

      Excluir
  6. Tem uma série de vantagens, mas tem que confiar muito na gestão desses fundos, já que não temos acesso aos balanços dessas empresas de capital fechado, fica tudo resumido somente nos relatórios da gestão.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá OS, tudo bem? Vou aproveitar seu gancho para perguntar sobre as empresas de capital fechado.
      UÓ, tudo bem?
      Como foi dito, essas empresas podem investir em empresas de capital fechado, mas como disse também elas tem governança e também são auditadas, como as de capital aberto.
      Esses relatórios dos auditores independentes, os balanços não são repassados, pelo menos, para os investidores que tem cotas da FIP???
      Ou tem que confiar cegamente na administração, e, se elas lançarem IPO, nós ficamos sabendo, caso contrário será sempre um voo às cegas???
      Grande abraço a todos.

      A40

      Excluir
    2. OS e A40, é isto mesmo, tem que confiar, daí o alto risco deste tipo de investimento, para nao assumir este risco so comprando Cemig via HB.
      Nao vi ainda outros relatorios alem dos da XP.

      Excluir
  7. Uó,

    Não entendi direito sobre esses dividendos, veja minhas continhas:

    IPCA + 7,5%

    6,5 + 7,5 = 13% de rendimentos, com cálculo sobre uma cota a R$ 100,00. Em uma cotação de R$ 85,00 daria 15% a.a. de rendimentos

    ou


    7,5% a.a. com reajuste anual pelo IPCA


    Em uma cotação de R$ 85,00 renderia 8,8% a.a. iniciais e os proventos seriam reajustados anualmente pelo IPCA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para entender a conta da gestora veja na página 10 do documento abaixo um exemplo real:
      http://www.xpgestao.com.br/xpg/pdf/RelatorioXPOM11_201403_Trimestral_vf.pdf

      Excluir
  8. Observei que a cotação está sendo mantida nesse patamar devido a constantes operações de compra e venda sempre entre as mesmas corretoras, o que mostra uma tentativa de sustentação artificial, caso contrário a cotação estaria mais baixa. Praticamente todos os negócios são de uma corretora vendendo para outra, em seguida recomprando.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Analista de book de ofertas tabajara decteted

      Excluir
    2. hehe, ontem no inicio do pregao teve uma operacao de uma cota apenas na mesma corretora q elevou a cotaçao em 3%. É pratica recorrente desta turma.

      Excluir
  9. Não dividendos.
    O ativo é bom, mas o preço não está refletindo isto e o próprio administrador está preocupado com isto, dai é certo que tem executado uma operação para sustentar o preço. As corretoras são a própria XP - gestora do fundo - e a TOVS.
    O pequeno volume de negociação e desconhecimento do ativo levou a uma queda para a faixa de 79,00 em fevereiro deste ano, o que ligou um alerta na administradora.
    Estas diferenças entre valor e preço oferecem oportunidades de entrada, para quem decidiu encarteirar o ativo.
    Em seguida a XP-Gestão apresentou relatório explicando muito bem a situação do ativo - que é promissora.
    Esta questão de cotação tem que ser levado em consideração pois o preço de entrada é determinante para as taxas de rentabilidade que podem ser obtidas, leia acima os outros comentários e verá esse ponto exposto.

    Teu comentário parece o que se chama nesse ambiente de blogs de "hater"!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo, o dividendos é o falso humilde. A mascara dele caiu já faz tempo. O sujeito é arrogante e tenho sérias dúvidas se não ganha um por fora da corretora para alavanca ressecado FIC. O uorrem que não fique esperto.

      Excluir
    2. vejo futuro neste ativo, se os precos se materem entre 80 e 90 devo comprar mais no mes que vem, mas se cair abaixo de 80 compro mais este mes ainda. como é um ativo de alto risco entao basta manter um percentual maximo de 2,5 % na carteira.

      Excluir
    3. Ganhar da corretora pra falar sobre um FIP??
      Vcs são muito criativos....mas a ideia até não eh ruim...kkkk
      Veja bem, não quero que ninguém aqui compre, pois quero comprar mais e não quero ver essa cota subindo de geito nenhum.
      Sobre o book, normalmente tem um robô da TOV clicando ordens na frente do book, mas a quantidade eh baixa. Eles tem feito a mesma coisa com alguns FIIs.
      A outra corretora eh a própria XP, nada mais normal. Liga por exemplo pra Rico e vê se eles sabem alguma coisa desse fundo..... Mais do que normal essa concentração.

      Excluir
    4. O mercado esta averso a risco e é normal que este tipo de investimento não seduza. como o Div falou, quanto mais cair melhor para nós, rs.

      Excluir
  10. Anônimo que me respondeu:
    Concordo, apenas mostrei um aspecto que não havia sido comentado nos outros posts.
    Pode notar, comentários agressivos e outros comportamentos envenenam os ambientes, é preciso cuidado com isto. Infelizmente o anonimato - o mesmo que eu e outros usamos, mais por conveniência e praticidade - facilita isto.

    Mas voltando ao ativo, muito interessante e acho que esse mecanismo de investimento vai crescer muito nos próximos anos. Vamos ficar de olho! Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que o Div não se comportou como um hater, apenas foi um pouco irônico, mas ele é um cara educado e palavras algumas vezes acabam agredindo quem lê, por mais que seja um coment despretensioso. Eu tenho uma arma contra isto, sempre levo na esportiva, a não ser que o cara fale mal da minha mãe, aí pego minha bazuca, rs.

      É uma novidade de mercado sem dúvida, e aqui no Brasil o mercado trata novidades de duas formas: começa a comprar feito louco (vide os FIIs tempos atrás) até vir uma grande depressão como a de janeiro última. Ou então o mercado fica ressabiado e não dá muito crédito, é aí que surgem as oportunidades.

      Uma coisa te falo, quando Infomoney e Exame começarem postar reportagens do tipo: "FIR é o investimento do ano", "FIR tá bombando", aí é o momento de sartar fora, rs.

      Abraço!

      Excluir
  11. Sim, Uorrem, esse comportamento nos preços é comum. Deriva de especulação, falta de informação, vontade de realizar o primeiro lucro....
    Reforçando que preço é apenas uma oportunidade de entrada ou saida e quem especula muito/com muita rapidez tem baixa chance de sucesso.
    Interessante é olhar um ativo lançado num desses "IPO" da vida e ver o que ocorreu com ele ao longo dos anos. Como diz o Warren original, os fundamentos prevalecem.
    Tanto um ativo que é lançado por "10" pode hoje estar cotado a 1,00 quanto a 50,00.
    Mas os FIP - e tambem as debêntures - acho que vão ser observadas com mais cuidado pois tem uma maior previsibilidade de rendimentos e os ativos subjacentes. Ainda existe o atrativo de isenção de IR.
    É só uma suposição, pode ser que o irracional domine para sempre.
    Veja o caso dos FIIs, o ativo é o imóvel, no caso de fundos de tijolos, o que somado com rendimentos mensais e razoavelmente previsiveis fazem o preço do ativo retornar para a média.
    Acho que vale um post seu sobre o assunto.
    Acho que o que responderá

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Na verdade nunca saberemos o que está por trás destes movimentos, somos pequenas sardinhas em uma mar de baleias e tubarões. Te garanto que tem gente ganhando com esta queda sempre tem. Veja caso recente da Brasil Insurances: diretoria vende mais de um milhão de ações e depois o ativo despenca. Semanas depois diretoria começa comprar ações novamente. e a gente fica com cara de boba na historia.

      Excluir
  12. Mais um comentário...

    Olhando para o futuro do FIP Ômega.
    Dentro de um ou dois anos o valor dos dividendos deve atingir o topo esperado, o fundo será mais conhecido e dai pra frente a previsibilidade do fluxo de caixa da pch e da eólica vão garantir rendimentos. OK.
    Só que ai teríamos uma decisão dos controladores: manter essa situação OU partir para a construção/aquisição de novas plantas.
    O fundo é relativamente pequeno, receita líquida de 15 milhões (o relatório mensal é bem resumido nessa parte), então o caminho, ao meu ver, é o crescimento orgânico ou por aquisições.
    Dai viriam as soluções, emissão de novas cotas, financiameno externo, etc. Será interessante acompanhar o que acontecerá.
    Eles estão no negócio "certo", energias renováveis são a necessidade do momento, basta ver a ampliação dos parques eólicos e sua participação nos LER - leilões de energia renovável.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom, foi o primeiro a por a cara à tapa no mercado de varejo, então nosso leque está reduzido já que não somos 'investidores qualificados'. Talvez você seja, eu não. Quem tá entrando, por menor que seja o aporte, tem que estar ciente das potencialidades e riscos inerentes. Talvez eu compraria estando a cota em 100, em 110 muito difícil, mas a 80 é sedutor.

      Excluir
  13. parece um fundo bom, o setor é estratégico, mas tem que ter paciência... muita paciência. Os dividendos acumulados serão pagos; nesse momento a XP parece se preocupar também com a geração de energia, que está abaixo do esperado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sim Investidor Abestado, a questão da falta de água tem atrapalhado um pouco, mas o mercado é imprevisível, mesmo com água faltando veja CEMIG em topo histórico de cotação. Creio que a queda nas cotações não tem muito a ver co isto, e sim com uma aversão a risco, vai saber. Mas vc está certo, tem q ter paciência, é investimento de loooooongo prazo.

      Excluir
  14. Fala Uó!

    Não consigo confiar em nenhum tipo de fundo. Para mim é muito rolo e pouco resultado. Nesse aspecto prefiro investir apenas nas ações mesmo.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é isto aí I.L., vc tem operfil do investidor seguro.

      Excluir
  15. Errei ali nos comentários, é leilão de energia de reserva.
    Sim, uó, não dá pra saber.
    Quanto ao xpom é uma questão de alocação conforme o perfil de cada um e tambem da etapa em que está, caso pretenda IF (indep. financeira), conforme o Buffet, escolha bem os ovos, só alguns, concentre neles e fique cuidando. Portanto é um papel para considerar.
    Acompanho teu blog e vejo aqui ao lado os "marcadores"... que produção ! Parabens.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu anôm. Obrigado também pela contribuição.

      Excluir
  16. Interessante, eu acabo focando só nas minhas opercoes e ignoro outras opcoes por vezes, acompanhar esses blogs e excelente

    ResponderExcluir
  17. Parabéns pelo artigo muito bacana! Vale a dica, quem gostar de se aprofundar leia sobre MERCADO SPOT de energia, e façam uma analise os contratos futuros. O setor para quem tiver disposição de investir nesse tipo de mercado ficara feliz pelos próximos 20 anos ( eu acredito ). O preço da energia tende a subir, o máximo que pode ocorrer é o governo cortar impostos para o povo sobreviver ( preço da energia para o consumidor final). Esse fundo me atraiu pelo tipo de risco limitado e o valor descontando e o longo prazo dos seus contratos. Além da excelente rentabilidade prevista. Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aê doidao cuidado com as dicas do Dividendos. O cara já pregou peça na blogosfera toda uma vez. Pelo menos foi bom que deixou o Troll totalmente desmoralizado porque foi seguindo a idéia de termo dele, foi engraçado ver o Troll com cara de tacho. Huahuahuahuahuahuahuahua

      Excluir
    2. Valeu doidão, estou contigo.

      Excluir
    3. É mesmo Anon, lembro desta história do Div. o Troller realmente ficou na cola da 'operação' dele, rs

      Excluir
  18. Eu também tenho xpom11. Uma coisa que me deixou preocupado é que analisando os 2 últimos relatórios de gestão. Na parte que traz os números da Asteris houve uma queda do lucro líquido de 6,5 milhoes em abril para 4,1 milhões em maio. Ou seja, a Asteri teve um mês de prejuízo. Teve a parada da Eólica para manutenção, mas não acredito que seja esse o motivo já que a receita financeira entra com delay de 1 ano. Tenho que deduzir que foi por causa de Pipoca (pch) que sabemos que est´´a com reservatório baixo. Alguém tem mais informações?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo indica que foi por causa da Pipoca mesmo. Temos que continuar acompanhando os relatórios, por enquanto estamos todos apostando.

      Excluir
  19. Quem não quer um rendimento de 12% + IPCA que é o que está no último relatório, com a cota do xpom neste patamar?
    O que me preocupa é qual o mínimo de geração da pch de Pipoca para ela apresentar lucro e consequentemente "subir" para a Asteris e depois pro xpom11?
    A eólica não me preocupa já que estamos recebendo a receita da energia produzida no ano passado e neste ano a geração está acima do esperado o que refletirá em 2015.
    Se alguém tiver mais detalhes ..........
    Sem dúvida é um ativo muito tentador no preço atual. Quando estiver um pouco mais seguro sobre estas questões e se valer a pena, quero ter 10% da carteira aqui. Excelente opção aos fiis pra quem procura renda!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 10%? Perfil arrojado demais, rs.

      Excluir
    2. Não acho não. Se o fundo cumprir o que promete nos relatórios e passar bem por esta seca, que dizem que é a maior da história tem tudo pra ocupar um belo percentual na carteira de quem busca renda.
      Quais outros investimentos existem com este objetivo? FII ( o melhor neste quesito), TD que paga cupom, ações dividendeiras(escassas), comprar um imóvel pra alugar (fria). Este fundo seria uma bela opção pra quem busca renda.
      Acho 10% um bom percentual se o fundo passar bem por este ano.
      Tem gente que fica 100% em fii e não acha arriscado, rsrsrs

      Excluir
    3. A grande questão é esta "Se o fundo cumprir", mas cada um tem seu perfil de investimento, tem gente que aloca até 100% em capital de risco, no meu caso 2,5% tá bom.

      Excluir
  20. Apenas contribuindo com o belo post do UO, pelo que eu entendi, não há compromisso de pagar esse valor mas sim de provisionar. Ou seja, temos o direito de receber, mas não há um cronograma definido. Se acreditarmos na competência do Gestor, podemos ver isso com bons olhos, pois esse tem maior flexibilidade com o caixa. Porém, caso o pagamento não ocorra dentro dessa previsão ( o que deve ocorrer em novembro) pode houver novas quedas da cota, abrindo mais possibilidades de entrada.
    Vejo esse investimento como de longo prazo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Div, mas não sei se a queda das cotas até agora está se dando por causa das provisões. Pode ser algum investidor qualificado se desfazendo de suas cotas por ter visto uma oportunidade melhor. Este fundo foi lançado em um momento de turbulência no setor energético o que também pode ter afastado aquelas sardinhas que vem comprando após IPO e elevando a cota. Sei lá...

      Excluir
  21. ocê alavancô ú Xi Pum sô. U treim tá subino pra mais di 86 real

    ResponderExcluir
  22. Alguém sabe se haverá nova emissão de cotas neste fundo? Há uma alteração proposta para assembleia que regulamenta as novas emissões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://www.bmfbovespa.com.br/sig/FormConsultaPdfDocumentoFundos.asp?strSigla=XPOM&strData=2014-07-17T12:10:38.253

      Excluir
  23. Boa noite.
    Soube desse fundo a esses dias..
    Vamos continuar com os post, já que todas as informações são validas.
    Abraços
    Tel

    ResponderExcluir
  24. Uorrem,

    Antes de tudo, muito bom este post! Estou chegando atrasado neste comment mas gostaria de fazer meu depoimento. Mas primeiro um pouquinho de minha história.

    Fui muito ativo no mercado de ações no periodo de 1984 a 2005. Em 1998, ano de minha aposentadoria, estive na CEF para resgatar meu FGTS e a gerente tentou me empurrar um FII. Foi a primeira vez que ouvi falar nesse tipo de ativo. Não comprei por falta de conhecimento e tempo para estudar, pois apesar de estar me aposentando naquela época, continuei empregado na mesma empresa até 2005. Em 2005 saí da empresa e 2008 voltei ao mercado como consultor técnico na produção de Biodiesel pois conhecia bem os processos técnicos envolvidos. Fiquei dando consultoria até 2012 quando encerraram o meu contrato no mes de Maio desse ano. A partir daí, pois precisava de renda passiva, detonei toda posição que tinha em ações e fui para TD e FII. Não sem antes dar uma estudada neles. Comprei BCFF e FEXC em fins de Maio. Em Dezembro vendi 90 % das cotas destes 2 e entrei de cabeça na IPO de AGCX. Mais a frente, com a SELIC em queda, fui saindo do TD e entrando mais em FII. Desta vez, comprando AGCX na bolsa. O quarto papel foi BBPO comprado em final de 2013 e fiz algum trade com este. Hoje tenho uma carteira extremamente desbalanceada com AGCX, BBPO (80 % do valor). Os outros 20 % em BBRC, BRCR, KNRI, HGLG, RNGO e FEXC. Dá para ver que sou conservador, não? (ou não sou - por favor, opine). Nada de Shopping pois já previa há algum tempo, que teremos tempos difíceis para o consumo.

    Mas o que tudo isto tem a ver com FIP? Acontece que perdi a infância dos FII's e não gostaria agora de perder a dos FIP's. Cheguei ao XPOM através de um amigo e o nosso oráculo do século XXI (google) fez o resto trazendo-me aqui. :-) Para finalizar, este post serviu para eu fincar "a pedra fundamental" da compra de um primeiro FIP. Comprei hoje 10 cotas a 87,00.

    E por fim, obrigado pelo post muito esclarecedor! Valeu!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Carlos, já conhecia você lá do blog do Soul. Bem vindo!

      Então, vejo os FIPs como uma teceira forma de diversificação em renda variável complementando as ações e FIIs. Infelizmente temos apenas o XPOM no mercado de varejo, os demais estão disóníveis apenas para investidores qualificados, mas penso que este mercado irá crescer muito nos próximos anos. Não fui atraído pelo novidade em si mas sim porque as cotas estão descontadas e isto geralmente é bom. É o que ocorre atualmente com FEXC e XPGA, cotas abaixo do VP que são um convite a novos aportes.

      Muito interessante sua história, difícil ver por aqui pessoas com longa data em investimentos de renda variável, eu sou um dos mais velhos e só entrei no mercado em 2008.

      Minha carteira de FIIs também está desbalanceada como a sua mas pretendo em um prazo de 4 anos estar com ela mais equilibrada.

      Não sei dizer se você é conservador, para isto precisaria saber a relação RV/RF.

      Também perdi a infância dos FIIs, mas de tempos em tempos sempre aparecem boas oportundiades de compras como janeiro/fevereiro deste ano. O macete é manter certo capital na RF para poder aproveitar estas oportunidades.

      Abraço!

      Excluir
  25. Uorrem Bife, vc conseguiu comprar cotas deste fundo numa boa?
    Pelo que vi no prospecto segue apenas para investidores qualificados.
    Mas fiquei empolgado com a proposta de remuneração, com dividendos acumulados, teríamos em torno de IPCA + 11,5% a. a.
    Estive pensando em comprar pelo menos um lotezinho

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só entrar no HB e lançar a ordem. Abraço!

      Excluir
  26. UB, vou comprar saporra e ficar rico!!!! KKKKKK
    Se der errado, te mando a fatura? Sacanagem, kKKKKK
    Gostaria de saber como e quando são pagos proventos desse investimento "Karai de asa" (ou sobe muito ou te persegue o traseiro…) . Feliz 2015!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk, vai dar errado não, precim tá bom.
      Vou postar lá no seu blog!
      Feliz 2015!

      Excluir
  27. UO, ainda está comprando? está a 70,00 cocei pra comprar, mas com itub e itsa cheia de promoções, deixarei pra depois

    ResponderExcluir
  28. Qual o tempo, em média, leva-se para lançar (estruturar) um Fundo de Investimentos em Participações?

    ResponderExcluir