quarta-feira, 29 de abril de 2015

Imposto de Renda 2015: Manual do Investidor - Dicas para não Cair na Malha Fina


Acesse o novo site clicando aqui

Opa,

Estou "um pouco" atrasado com este post sobre o imposto de renda do exercício deste ano (ano calendário 2014) mas muitas pessoas ainda não entregaram a declaração (síndrome do estudante). Na verdade este post é um compilado dos posts que eu fiz ano passado e pode ser útil para quem ainda tem dúvidas.


À meia-noite de amanhã, 30 de abril, termina o prazo para o envio sem multa. O contribuinte não precisa preencher todo o formulário agora, mas se não enviar nenhuma informação ao governo, será penalizado. Até as 17 horas de hoje, 4,3 milhões (15,6%) não haviam transmitido suas declarações. Segue o compilado...

Como Preencher DARF - Venda de FIIs

Programa de Declaração do Imposto de Renda de Pessoa Física - Dicas Operacionais

Bonificação em Ações - Como Declarar? 

Declaração de Imposto de Renda - Dicas Básicas

Como Declarar Tesouro Direto

Como Declarar Ações - Saldo

Como Declarar Ações - Operações de Venda

Como Declarar Ações - Recebimento de Dividendos

Como Declarar Ações - Recebimento de Juros sobre Capital Próprio

Como Declarar Ações - Recebimento de Aluguel 

Como Declarar Lucro/Prejuízo de Vendas de Cotas de Fundos de Investimentos Imobiliários 

Como Declarar Cotas de Fundos de Investimento Imobiliário 

Como Declarar Distribuições de Rendimentos de Fundos de Investimento Imobiliário

Dicas para não Cair na Malha Fina

Cair na malha fina da Receita Federal e, consequentemente, ter protelada para o fim da fila a restituição do Imposto de Renda é uma das principais preocupações de quem está fazendo a declaração. Segundo balanço da Receita Federal do IR 2014, a omissão de rendimento é responsável por 52% dos contribuinte que caem em malha fina, seguida pela declaração de recibos médicos (20% das retenções).

No ano passado minha esposa caiu na malha fina porque paguei erroneamente uma DARF de imposto sobre venda de ações com o meu CPF em vez do dela. Mesmo sendo um valor muito pequeno, este simples erro de digitação foi suficiente para colocá-la na malha fina. Abaixo listo algumas dicas importante para fugir da malha fina.

Cuidado com a digitação: Muitos erros passam pelo arredondamento de centavos ou erro de CNPJ. Se o número não bater com o que consta na Receita, o sistema acusa inconsistência.

Não omita rendimentos: É importante lançar todos, inclusive dos dependentes. Quem aluga algum tipo de imóvel também não pode deixar de declarar.

As despesas precisam conferir: As médicas devem ser lançadas de acordo com as notas fiscais ou recibos, pois a Receita costuma utilizar esses dados para fazer cruzamento de informações.

Não esqueça das aplicações: É preciso listar todas as instituições financeiras nas quais o contribuinte possui conta bancária ou investimento. Além dos saldos, é preciso informar os rendimentos.

Lembre-se dos bens: Devem ser declaradas ações ou cotas de empresas cujo custo de aquisição seja maior que R$ 1 mil, estoque de ouro ou ativo financeiro (a partir de R$ 1 mil) e todos bens móveis cujo valor de aquisição seja superior a R$ 5 mil.

Bem vendido, ganho declarado: Os bens vendidos ou doados durante o ano devem ser apresentados na declaração. A venda de imóveis com ganho de capital está sujeita à alíquota de 15%.

Aposentados seguem o mesmo padrão: Um erro comum é que aposentados com mais de 65 anos declararem na ficha de rendimentos isentos e não tributáveis valores que superem ao permitido. Esses valores devem ser declarados como tributáveis

Informe todas as fontes pagadoras: O contribuinte com mais de uma fonte pagadora não pode deixar de informar todos os valores recebidos (salários, pró labore, aluguéis etc), pois a Receita Federal fica sabendo com antecedência qual foi a renda de cada um.

Não omita nenhum rendimento: Lançar todos os rendimentos, inclusive dos dependentes, independentemente dos valores auferidos, é uma das etapas mais importante na hora de declarar. Quem aluga algum tipo de imóvel também não pode deixar de declarar os valores recebidos. A sonegação fiscal não apenas é crime contra a ordem tributária, como também é punido com multa de 150% (podendo chegar a 225% caso o contribuinte não colabore com a fiscalização). Além disso, desde 2012, a utilização de recursos oriundos da sonegação pode ser entendida como lavagem de dinheiro, que é outro crime.

Informe rendimentos de dependentes: O contribuinte não pode informar uma pessoa como dependente quando ela já está como dependente em outra declaração do IR. É importante não esquecer também de lançar os rendimentos dos dependentes. Muitos contribuintes não observam as condições estabelecidas pela Receita para que possam ser declarados dependentes.

Não informe despesas médicas diferentes dos recibos: Embora não haja limite para dedução deste item, as despesas médicas devem ser lançadas de acordo com as notas fiscais ou recibos, pois a Receita costuma utilizar esses dados para fazer cruzamento de informações. Por exemplo, você declara que pagou ao seu dentista R$ 6 mil, e o profissional declara que recebeu apenas R$ 2 mil. A empresa declara que te pagou como profissional liberal R$ 20 mil  você declara que recebeu apenas R$ 5 mil. Vale lembrar ainda que valores reembolsados pelos planos de saúde não podem ser abatidos.

Não inclua gastos que estejam fora da lista de deduções: Algumas despesas não são dedutíveis do IR e por isso não devem ser lançadas como, por exemplo, gastos com cursos de idiomas, tratamentos estéticos e despesas médicas de terceiros que não sejam seus dependentes, entre outras.

Declare bens e doações: É obrigatório lançar todos os bens e direitos, detalhadamente. Pelas regras, devem ser declarados: contas bancárias e aplicações financeiras maiores que R$ 140;  todos os veículos automotores; ações ou cotas de empresas cujo custo de aquisição seja maior que R$ 1 mil;  estoque de ouro ou ativo financeiro, a partir de R$ 1 mil; e todos bens móveis cujo valor de aquisição seja superior a R$ 5 mil. Automóveis doado pelos pais a seus filhos também devem ser declarados. Ele lembra ainda que as doações devem ser declaradas tanto pelo doador como pelo recebedor. Elas estão isentas de imposto de renda, porém podem estar sujeitas a tributação estadual, imposto sobre transmissão causa mortis e doação de quaisquer bens e direitos.

O crescimento patrimonial deve ser compatível com a renda: A Receita leva em conta que parte da renda declarada é consumida em gastos declarados e outros despesas necessário à manutenção e sobrevivência do contribuinte e de sua família. Nesse sentido, o aumento do patrimônio precisa ser compatível com o da renda. Se uma pessoa declara ter tido uma renda anual total de R$ 60 mil, e seu crescimento patrimonial foi de R$ 58 mil, por exemplo, há uma chance grande de sua declaração ir para a malha fina para ela se explicar como conseguiu viver o ano inteiro com R$ 2 mil.

Casal que tem rendimentos de aluguel e declara a renda 50% para cada um, sem elaborar o contrato de locação correto nas imobiliárias: Caso a imobiliária não seja avisada que cada componente do casal vai declarar 50% dos rendimentos em sua declaração e coloque o valor total recebido em apenas um CPF na DIMOB, gera conflito de informações e a Receita deixa em malha fina. Nesse caso, a imobiliária tem de informar os dois CPFs e 50% de recebimento de aluguel de cada um. Se o locatário não tiver imobiliária intermediando o aluguel, precisa recolher carnê-leão mensalmente, cada um informando 50% do rendimento.

Contribuintes que apresentam rendimentos recebidos de pessoas físicas ou pensão alimentícia acima do valor de isenção do IR (R$ 1.787,77 por mês) e não faz o recolhimento mensal, conhecido como carnê-leão: Para quem paga a pensão (homologada na Justiça) essa é um despesa dedutível e é paga em dinheiro. Quem recebe a pensão, precisa recolher o carnê-leão mensalmente, informando que recebeu de pessoa física aquele valor. Se o valor estiver acima do limite de isenção da tabela mensal (R$ 1.787,77), a pessoa que recebe a pensão estará sujeita ao recolhimento do IR via carnê-leão e deve apresentar essa informações na declaração, com o código 01-90. Só valores recebidos em dinheiro devem ser declarados no carnê-leão por quem recebe.

Quando o declarante não informa o valor correto de seus pagamentos de planos de Previdência Privada PGBL e VGBL: A Receita cruza as informações prestadas pelo contribuinte com as informações sobre os pagamentos feitos no ano, que as Seguradoras e Empresas de Previdência Privada informam na DIRF à Receita Federal. Coutinho indica que, caso isso aconteça, o declarante deverá solicitar à seguradora ou empresa de previdência privada o extrato anual com os valores de suas contribuições para os planos de Previdência e retificar a sua declaração, informando o valor correto.

Quando o cliente de planos de previdência não informa de forma separada os valores pagos ao seu próprio plano e os de seus dependentes: Segundo Coutinho, o Fisco possui informações dos titulares de planos de previdência e de seus pagamento durante o ano calendário, estas informações devem bater com os pagamentos feitos a título de Previdência privada do próprio e de seus dependentes. Para esse problema, o declarante deverá retificar a sua declaração informando separadamente os valores pagos a título de Previdência complementar próprio e de seus dependentes individualmente.

Quando o cliente de planos de VGBL não declara o seus pagamentos na linha de "Bens e Direitos"  indicando o investimento efetuado durante o ano: A Receita Federal possui as informações dos pagamentos pelo contribuinte a título de VGBL e cruza estas informações com a declaração do contribuinte. Neste caso, explica Coutinho, o declarante deverá retificar a sua declaração informando na Ficha "Bens e Direitos" os valores pagos a título de VGBL.

Omissão de salários de antigos empregadores: Se você mudou de trabalho ao longo de 2014, não se esqueça de declarar também os salários recebidos do antigo empregador. Como as fontes pagadoras são obrigadas a prestar essa informação ao Fisco, as chances de o leão identificar eventuais sonegações são altas.

Pessoa incluída em duas declarações ao mesmo tempo: O CPF de uma pessoa não pode aparecer em mais de um formulário do IR. Portanto, se dois contribuintes dividem as despesas de avós, pais ou filhos, a família deve conversar para decidir qual deles irá incluir o dependente na declaração. Apenas essa pessoa poderá deduzir os gastos do dependente. As despesas pagas por outros familiares não poderão ser abatidas. A única exceção ocorre quando uma pessoa deixa de ser dependente de um contribuinte para passar a ser dependente de outro. Nesse caso, ela pode ser incluída em duas declarações ao mesmo tempo no ano seguinte ao da mudança. Um filho que era dependente da mãe e se casou em 2014, passando a ser dependente da esposa, por exemplo, pode ser declarado por ambas no IR 2015. No entanto, cada titular só poderá deduzir as despesas referentes ao período em que essa pessoa era sua dependente. A mãe poderia deduzir os gastos com o filho até junho, por exemplo, e a esposa passaria a declarar as despesas de julho em diante.

Deixar de recolher imposto sobre ganhos com ações: Quem teve ganho líquido na venda de ações por valores acima de 20 mil reais em um único mês não deve apenas lançar esse ganho na Declaração de Ajuste Anual. O imposto sobre o ganho com essa operação deve ser pago até o último dia útil do mês seguinte ao da venda dos papéis (veja como declarar ações).

Confiar cegamente em alguém que faz a declaração para você: Pagar um profissional para fazer sua declaração, ou pedir ajuda a alguém de confiança não significa que os dados declarados não devem ser checados. Mesmo se o erro for deles, a responsabilidade pelos é 100% do contribuinte. Busque sempre checar as informações inseridas na declaração e em caso de dúvida procure solucioná-la no site da Receita, na seção Perguntão, pelo Receita fone (146 para ligações do Brasil) ou então busque uma segunda fonte de informação.

Fonte 1
Fonte 2
Fonte 3
Fonte 4

terça-feira, 28 de abril de 2015

Rali de Alta do Minério de Ferro


O rali de alta do minério de ferro segue sem demonstrar forças vendedoras. Como pode ser visto no gráfico abaixo, já são 12 dias consecutivos de alta.


As ações da mineradora brasileira Vale demoraram uma semana para reagir à alta da commodity, mas observamos nos últimos dias uma explosão de 30% na cotação do papel.


Mercado Altista do Minério do Ferro Poderá Durar

O minério de ferro poderá estender o rali do mercado altista se as maiores produtoras desacelerarem ainda mais suas expansões e começarem a reduzir a produção das minas mais custosas, disse Michael Zhu, ex-diretor de vendas internacionais da Vale SA.

A matéria-prima provavelmente subirá para uma média de US$ 60 a US$ 70 a tonelada neste ano, disse Zhu. Até esta altura do ano, o material registrou uma média de US$ 59,82 depois de cair para apenas US$ 47,08 em 2 de abril. A commodity continua 69 por cento abaixo de seu recorde de 2011, e o Morgan Stanley disse na segunda-feira que os preços atingirão um pico dentro das próximas semanas.

O minério de ferro entrou em um mercado altista na sexta-feira e subiu mais de 20 por cento em relação ao seu fechamento mais baixo depois que a BHP Billiton Ltd. disse que diminuiria o ritmo da expansão na Austrália e que algumas fornecedoras menores desativaram minas. É possível que esteja se formando um piso para os preços, segundo a Pacific Investment Management Co. O quarto dia de incrementos dos preços de referência nesta segunda-feira é a sequência mais longa neste ano, e os contratos futuros estão sinalizando mais ganhos na China.

O "mercado está principalmente nas mãos das chamadas Quatro Grandes: se apenas uma delas adota uma pequena medida, já há uma grande influência", disse Zhu, em referência às empresas Vale, BHP, Rio Tinto Group e Fortescue Metals Group Ltd. "Se eu fosse as mineradoras, eu diria que nossa responsabilidade é satisfazer a demanda da indústria siderúrgica. Não preciso produzir mais nem quero produzir menos".


O minério de ferro poderá subir mais US$ 10 a US$ 20 no curto prazo antes de atingir um pico nas próximas semanas, escreveu Joel Crane, analista do Morgan Stanley, em um relatório, nesta segunda-feira. A confiança na indústria siderúrgica da China está tão negativa que parece improvável que ocorra qualquer recuperação nas transações neste ano, disse ele.

Para combater a desaceleração deste ano, o Banco Popular da China, banco central do país, relaxou as regras para aquisição de residências, reduziu taxas de juros e diminuiu o montante de dinheiro que os bancos precisam separar como reserva.

"Nós acreditamos que a recente recuperação alinha o preço novamente às nossas expectativas", disse Paul Bloxham, economista-chefe para a Austrália do HSBC Holdings Plc em Sydney, que vê uma média de US$ 50 a US$ 60 em 2015. "A demanda chinesa deverá subir, apoiada por uma maior flexibilização da política monetária e pelos planos do governo de aumentar o investimento".

Referência

segunda-feira, 20 de abril de 2015

Freguesia d'Uó!


Com todo respeito ao atual campeão brasileiro, mas aqui é Galo...


Bom feriado a todos!

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Meu Método de Precificação - Case CGRA (Grazziotin)


Como calcular o preço justo de uma ação?

Jogue esta frase no Google e encontrará diversas teorias e livros a respeito. Recentemente o colega AdP publicou um interessante artigo sobre este tema que vale a pena ser lido. Porém, não considero útil para mim fórmulas de precificação, métodos de valuation e outras teorias. Uso uma outra abordagem, bem mais simples, que será exemplificada neste post.


Não é objetivo deste texto entrar novamente no já desgastado tema "preço importa / preço não importa". Todos que me conhecem já sabem que tenho uma certa predileção por comprar empresas "baratas", porem já levei tanto ferro com esta abordagem que revi meus conceitos e hoje procuro não mais ficar restringindo minhas compras tento em vista o preço da ação. Mas, de certa forma, ainda me apoio muito nos gráficos para executar a entrada um um determinado papel.

Dito isto vamos ao meu "método" usando o exemplo pratico da  Grazziotin (fiz meu primeiro aporte neste ativo na data de hoje).

Primeiramente é fundamental realizar a escolha do ativo a ser encarteirado usando as regras básicas de bons fundamentos. Os lucros são crescentes? As dívidas estão controladas? O ROE é interessante? As margens sãos atrativas? O setor é promissor? bla bla bla



Para os seguidores da abordagem "preço não importa" apenas os bons fundamentos são suficientes. Uma vez escolhido o ativo basta criar um plano de aportes periódicos e segui-lo com disciplina. Anualmente checar os fundamentos da empresa para perceber se o trem continua sobre os trilhos.

E para os seguidores da abordagem "preço importa"? Vou apresentar aqui o meu método como sugestão para quem ainda não criou o seu. Abaixo apresento o gráfico do papel CGRA4. Ele está plotado no período mensal.


O método é amparado pela análise do gráfico do papel em um período mais longo (semanal, mensal ou trimestral). O preço "justo" de compra será determinado por uma média móvel de período longo. No caso da minha compra de hoje a média exponencial de 73 período apoiou a decisão.

Basicamente considero justo comprar um papel que sobe no tempo desde que o preço não esteja muito afastado das médias de longo período. É muuuuuito simples seguir esta abordagem, mas precisa-se ter paciência. Mas e se o preço nunca chegar na média desejada? Isto costuma acontecer com papéis bem posicionados, um exemplo e a WEGE3. Em casos como este você vai ficar esperando, esperando, esperando e nunca irá comprar. É um ponto negativo deste método, e nenhum método é perfeito. Mas se você quer realmente ter aquele papel esqueça o preço e compre, é a única forma de não ficar se torturando com a subida desposicionada.

Ah, legal, você comprou o papel no preço justo e agora ele vai só subir, parabéns! Não se engane. A análise técnica diz que o preço só reverte uma tendência de baixa no momento em que o gráfico apresenta o pivot de alta. A média exponencial acima é um forte suporte? Com certeza sim, mas poderá ser furada facilmente, Notem que o papel apresenta uma fraqueza notória neste ano. Enquanto toda a bolsa sobe nas últimas semanas ele só cai. E o que eu devo fazer se o papel cair mais? Devo comprar mais? Fazer o famigerado preço médio para baixo?

Amigo, não estamos aqui falando de trade e sim de aporte em uma empresa de bons fundamentos. E neste caso preço médio pode ser uma boa estratégia desde que realizada com critério. Tenho uma regrinha básica que me permite fazer um segundo aporte em um ativo, no mesmo mês, apenas se o mesmo cair mais de 20% desde a minha última compra. Portanto, se a CGRA4 chegar nos 11.XX ainda este mês provavelmente farei mais um comprinha. O preço alvo já está definido.

Não deixe de ler também o post Como Controlo Meus Investimentos Buy-and-Hold e Minhas Operações Day-Trade.

Abraço!

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Como Controlo Meus Investimentos Buy-and-Hold e Minhas Operações Day-Trade


Fala galera!
Como estão todos?

Eu tento ficar longe do blog mas vez ou outra aparece um assunto para compartilhar com vocês e assim trocar uma ideais. De qualquer forma, estou diminuindo o ritmo de postagens e trarei aqui apenas assuntos realmente relevantes. Nada de posts do tipo "comprei isto, vendi aquilo", "PT é isto, Dilma é aquilo", "Bati o IBOV, perdi do CDI"...

Hoje o assunto é controle. Para nós investidores isto é algo fundamental pois só com um registro preciso das operações conseguiremos no final do mês apurar o desempenho das carteiras. Ainda uso a velha e boa planilha eletrônica, uma das maiores invenções da humanidade. Penso no futuro desenvolver um sistema para esta finalidade, mas por hora a planilha está atendendo bem.


Hoje tenho conta em 4 corretoras, porém uma não está operacional pois é utilizada apenas para TD e no momento não estou posicionado nesta modalidade. Portanto tenho 3 corretoras para gerenciar no dia a dia. Muitos não gostam de operar com mais de uma corretora pois consideram uma complexidade desnecessária. Mas acho interessante pois posso aportar em CPFs diferentes (no caso o meu e o da minha esposa) e aproveitar os melhores recursos de cada uma.

Na figura a seguir apresento a planilha de controle da corretora 1 (Mirae). Para cada mês tenho uma planilha como esta por corretora. Em azul apresento as posições compradas de FIIs. Em verde as posições compradas de ações e em laranja estou apresentando a bonificação da Cielo deste mês. Esta planilha é atualizada automaticamente (ver este link do E.I.) com as cotações da bolsa e no campo Lucro obtenho a valorização atual no mês.

Tenho ainda nesta planilha os seguintes campos:

Transporte: Valor de fechamento do mês anterior (valor total dos ativos mais valor em conta corrente)
Aportes: Valor total aportado no mês
Operacional: Transporte + Aportes
Taxas: Total de taxas do mês
Impostos: Total de impostos pagos no mês
Dividendos: Total de dividendos recebidos no mês
JSCP: Total de dividendos recebidos no mês
Aluguéis: Total de aluguéis recebidos no mês
Bonificações: Total de bonificações recebidas no mês
Distribuições: Total de distribuições recebidas no mês
Fechamento: Total atual do mês


Abaixo apresento a planilha de controle da corretora 2 (MyCap). Esta conta está no CPF da esposa. Acho interessante dividir os ativos em dois CPFs pois assim tenho um limite de vendas mensais de até 40K sem pagar imposto de renda.


Abaixo apresento a planilha de controle da corretora 3 (Rico). Estou usando esta corretora atualmente apenas para as operações em mini-índice e mini-dólar e não pretendo mais aportar nesta conta. A ideia é comprar ativos (basicamente FIIs) apenas com os lucros das operações day-trade. Em cinza estão as operações DT do mês atual.


Como podem ter notado nas planilhas, este foi um mês que realizei muitas vendas de ações e muitas compras de FIIs. Resolvi realizar parte dos lucros obtidos na alta recente e comprar alguns FIIs que estão "descontados" atualmente. Daqui pra frente pretendo comprar periodicamente 3 FIIs mensais (1.500 em cada aporte) e ações comprarei apenas em momentos de Bear Market.

Abraço a todos!

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Debutando no Mini-Dólar


Veja meu novo site Aqui 

Passando por aqui apenas para dar um feed-back ao Anom que perguntou sobre o andamento das operações day-trade. Antes de ontem completei 3 meses de operação no mini-índice (a primeira operação foi no dia 07/01) e iniciei hoje as operações no mini-dólar...


Mais informações sobre o pregão de ontem aqui e aqui.

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Olha quem Está Falando...



Uozinho: Papai, o IBOV agora vai entrar em tendencia de alta?
: Provavelmente filho, o índice demonstrou muita força nos últimos dias, conseguiu encostar na MM200 no gráfico diário, coisa que não acontecia desde novembro do ano passado.
Uozinho: E agora papai, qual é a próxima resistência?
: Temos o encontro com a MM200 no semanal, lá em 55.000. Se chegar lá ele fará uma correção e pode engatar outra pernada de alta até os 57.000 quiçá 59.000.
Uozinho: Legal papai, vamos ficar acompanhando.
: É isto aí Uozinho, os gringos estão levantando a bolsa, mas pode ser uma "levantar para cortar", todo cuidado é pouco.
Uozinho: Entendi papai, os gringos é que mandam na bolsa, somos apenas pequenas sardinhas. Vamos então lá ver como nosso mini está hoje.
: Vamos sim Uozinho, Precisamos aguardar a abertura do pregão das ações para ver a direção que o dia tomará.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Feliz Páscoa!


Fala galera!

Tá difícil afastar do blog, rs, confesso que todo dia dou uma olhadinha nos comentários e nos posts dos colegas. Mas estou passando por aqui só para desejar um ótimo feriado a todos.


Para os curiosos de plantão, não se preocupem porque por aqui está tudo bem. Não quebrei nem infartei como muitos estão especulando. Porém desisti de comprar o carro zero. Mesmo com esta crise está muito difícil negociar nas lojas. Até consegui um desconto razoável no Cobalt LT 1.4 por 42.000. Porém o carro não coube na garagem, então desisti do negócio. Agora estou pensando em comprar um City semi-novo, já achei alguns preços na casa dos 38.000 (ano 2012). Se alguém souber de um carro destes por aqui favor me dar um toque.


Abraço d'Uó!